sábado, novembro 01, 2008

NADA É PERFEITO


Que rosa bela foste em mim até um dia
Bela flor de rosa pálido e perfumada
Foste o sonho que desejei ter e fingia
Porque nem perfume, nem rosa foram nada…

Um tédio mortífero me domina e põe-me fria
Nem o perfume nem o sorriso bom de fada
Fazem de mim gente. Sou nada; sou melancolia.
Sou a sombra que nunca foi iluminada…

Procuro em vão teu terno olhar que se perdeu.
Todo o cansaço que domina esta alma que morreu
Por ter perdido a flor que um dia pôs no peito…

Que bela e perfumada rosa foste para me dar ilusão
Que belo sonho me deste e depois deixaste solidão…
Vive-se com a dor, morre-se por amor… nada é perfeito…


01.11.08

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Maria Clarinda said...

Joaninha...que belo este teu poema!
Como foi bom lê-lo em voz alta, e pensar que seria a tua voz que estava a ouvir..obrigada por estes momentos.
jhs mil

4:03 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter