terça-feira, setembro 30, 2008

O VENTO NO TEMPO


Deixei de ver a luz difusa vinda dos vitrais
Deixei de ajoelhar embalada em fé
Deixei de ir ao silêncio do templo
Passei a ir ao rio, onde os silêncios são iguais…
Apenas choro agora, entre suspiros e ais…
Viver hoje apenas é existir, não é?....

Deixei partir de mim os sonhos de aventura
Deixei que me secasses os olhos sofredores
Deixei que sonhos novos dessem outra postura
E me fizessem esquecer tão tristes amores…

O tempo e o vento sopraram mais forte
Também de nada mais sei, apenas que partiste
Mas algum dia, saberás quando foi a minha morte
E no vento que sopra, ouvirás minha voz triste…

O vento no tempo repetirá como sempre te amei
E feita apenas pensamento, foi só amor que te dei…

30.09.08

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Maria Clarinda said...

Joaninha, dizer-te que li mais um poema teu lindo...seria repetir-me, porque para mim eles são sempre lindos...
Adorei, e com o vento no tempo estive momentos maravilhosos no teu espaço.
Jinhos muitos

6:50 da tarde  
Blogger Elsa Sequeira said...

oLÁ!!

Vim agradecer as tuas palavras no meu Mares d'Alma!
Obrigado pela visita!!!
Vai aParecendo porque vai haver muitas novidades sobre o meu livro!!!

Lindo poema o teu!

Bjtsss

10:34 da tarde  
Blogger Elipse said...

gostei muito deste poema triste. Não pela tristeza, mas porque a tristeza é a mãe das palavras mais belas, sempre!

6:21 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter