segunda-feira, agosto 11, 2008

UMAS PALAVRAS PARA TI


Logo que chegues mata a minha saudade
Escreve muito como sempre costumas fazer...
Conta-me minuciosamente toda a verdade,
Em palavras belas, para o meu sonho crescer...

Na hora do sol-posto há sempre realidade
É a hora que te recordo, como se estiveras a viver
É no tempo em que revejo a minha saudade
E choro desabridamente, com vontade de morrer…

Porquê vais sempre quando apenas te queria
Perto, muito perto para suportar esta agonia
Que não tem nome, apenas sei que algo se perdeu…

Porquê não vens e me abraças com ternura,
Deixas que as tuas palavras sejam mesmo de candura
Fazendo esquecer meus choros por quem morreu…

11.08.08

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Jane said...

Minha querida, é verdade que, embora poucos dias, o importante é que a cabeça esteja livre de certos pensamentos. O regresso à cidade, em tempo de férias, faz comichão.

O passado insiste em permanecer e em mostrar que tem força, mas na verdade tem a força que lhe atribuirmos. E nós, que vivemos quase mais o passado do que o presente, temos de aprender a defender-nos dele porque se não vai custar-nos cada vez mais respirar.

Um beijinho.

11:16 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter