sexta-feira, outubro 19, 2007

GEOMETRICAMENTE INCONSEQUENTE


Entre polígonos, esferas e ovais
Por entre cubos, triângulos e tracejados,
Riscando a tinta da china diagonais,
Vou desenhando meus amores abandonados…

Perdida entre carvão, grafite e outros mais,
Faço sombras em castelos desmoronados,
Acho valores em raízes quadradas anormais
Nos degraus escorregadios, por mim desenhados.

Na boca deposito-te polpa de fruto carnudo
E massajo teu queixo redondo, bojudo
Com todas as delícias de amores carnais…

E esquecida que foi a borracha para apagar
Faço de ti um esboço para eu brincar
E depois ofereço-o a quem te ame mais…


19.10.07
12H45

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Alexandre said...

Que maravilha, Joaninha! Gostava de ser eu o destinatário desse desenho tão bonita está a mensagem!

Ainda bem que não tens borracha, aliás, acho que em nada na vida se deve usar borracha, pois tudo o que vivemos nos ensina a ser mais... pessoas!

Muitos beijinhos!!!

10:27 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

puxa
faz tempo q n apareço por aki moça
mas pelo jeito vc continua escrecendo mto bem

shalom!!!

8:08 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter