sábado, outubro 13, 2007

“NUM JOGO SEM FIM”


No que escrevo digo e contradigo,
Traduzo tudo o que vou sentindo
Tudo tem origem neste amor mendigo
Que me faz triste e me vai consumindo

Amar assim, tão doidamente, até bendigo
E quanto mais me repeles e vais partindo
Mais me afeiçoo, mas não to digo
Dessa maneira, me contradigo mentindo…

No jogo de palavras que me lanças.
Sempre pensando que não me cansas,
Vais fazendo de mim uma brincadeira

Pegas, largas, lanças e recolhes os dados;
Deixo que os lances. Sei que estão viciados
E crê que alguma jogada será a derradeira…


12.10.07
01:35

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Alvaro Gonçalves Correia de Lemos said...

Boa tarde meu doce anjo,

Cheguei aqui pelas tuas mãos e vim não porque me pediste, vim porque quis, quiz saber quem eras, como eras, o que pensas e como pensas, como ages. E meu bem, adorei, fiquei sem palavras para te dizer, apenas que amei a simplicidade, a genuidade, as emoções e sentimentos aqui partilhados por ti.
Obrigado, minha amiga.
Beijos em teu coração.

5:36 da tarde  
Blogger Alvaro Gonçalves Correia de Lemos said...

Meu lindo anjo,

Me desculpa, mas me ia esquecendo, tomei a liberdade de colocar um link no Perfil para sempre aqui voltar.
Obrigado mais uma vez pelo teu carinho.
Beijos em teu coração.

5:45 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter