sexta-feira, junho 01, 2007

BELA FLOR!...


Deitei-te sobre o meu ventre, bela flor
E deixei que minhas mãos fossem carícia
Senti no meu peito o teu terno calor
E meu bem-estar inefável foi uma delícia…

Massajei teu caule com muito ardor
E as tuas pétalas abriram com perícia
Num instante único, num cântico de amor,
Ao som da concertina e sem malícia…

Bebi teu néctar como a bebida mais saborosa,
Deixei-o pelos meus lábios de forma habilidosa
Enquanto a brisa vinha com cantares de fantasia.

Teu néctar, como suco sagrado de um deus
Fortaleceu esta vontade de viver, sem dizer adeus
E sobre o meu peito, bela flor, és a eterna magia…



31.05.07

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Querida Joaninha, que bom já te poder comentar...

Um belo poema, revestido de ternura, nos deixas aqui.


Beijos da Mel de Carvalho
www.noitedemel.blogs.sapo.pt
www.maresiademel.blogs.sapo.pt

2:02 da tarde  
Blogger jorgeferrorosa said...

Belo poema, imagem sensual, dela é tema, o amor imortal. Bela descrição, profundo sentir, só pode, do coração, tal condão fruir.
Rosas esplhadas, petalas ao acaso, da noite e das madrugadas, onde não existe prazo.
Tudo é magia, este acto de escrita... quem diria, pela poesia, a poetisa grita!
Muito bonito.
Beijinhos com a minha amizade.
Jorge

8:14 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter