segunda-feira, maio 21, 2007

SORRIO

Sorrio. Sorrio sempre em cada manhã
Sorrio mesmo com o coração a chorar
Sorrio quando sinto que a esperança é vã,
Porque a sorrir, consigo me enganar…

Sorrio quando me falam de amizade sã,
Sorrio porque, todos os dias, fico a esperar
Sorrio enfim, porque cada noite é uma manhã
Em que espero que a amizade venha me amar…

Sorrio ainda, quando sonho que me passa a dor,
Que baixinho e docemente me chamas de amor
Quando a vida quase está a ser recordação…

Sorrio porque penso que amar não são favores
E que os “muito obrigados” são ternos amores.
Mas chega a noite e apenas me deixa ilusão…


21.05.07

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger http://lili-one.livejournal.com/ said...

Engano e ilusão, não será isso que é a vida, Joaninha? Depois, na amizade os obrigados e agradecimentos, não podem ter lugar, como se a amizade fosse um ter e um haver.
Fiquei agradavelmente surpreendida por este último poema não ser tão pessimista como alguns que tem escrito, noutros post.

4:58 da tarde  
Blogger jorgeferrorosa said...

Um sorriso, um rosto, um abraço, uma saudade... um momento, esse, aquele que é preciso! Simplesmente, um sonho, viagens no pensamento.
Com a minha amizade.
Beijinho
Jorge

8:38 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter