quarta-feira, outubro 21, 2009

PARA TI

Tudo o que ainda resta de mim

São as cinzas espalhadas, ao vento

E aquele suspiro profundo, sem fim

Que foi a voz do meu lamento…


Sobre as cinzas uma rosa carmim;

E o teu olhar, o teu pensamento...

Talvez também uma saudade assim,

Como a que levo, de cada momento.


Nas palavras que te vou deixar,

Há todo o sonho de te amar

Amor fugidio… nuvem de verão.


Crê que tudo o que não te dei,

E nas vezes que não te beijei,

Houve só e só esta louca paixão!




19.10.09

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

Triste, mas tão bonito o teu poema! Muitos beijos meus.

4:32 da tarde  
Blogger Leonor C.. said...

Beijinhos, minha amiga. Até o que é triste é lindo...

Beijinhos

5:54 da tarde  
Blogger Jacarée e Baby said...

Passei para deixar um brilho no seu belo poema.
Que o Sol ilumine esse amor fugidio... em vez de nuvens
Que nasça o encanto do amor nessa paixão.
Que a brisa tragam o hino da liberdade em seu pensamento.
otimo fim-de-semana.
Que tudo lhe sorria c muita Paz, amor e saúde.
Bjs e borrifes de Jacarée

1:59 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter