domingo, outubro 18, 2009

GENTES

A vida das gentes é uma teia

Cruzam-se, desgastam-se e iludem-se

A vida traz guerra e antagonismo

E na vida das gentes é esquecido o Amor…

Deixa-se passar entre os dedos como areia

E na vida fingem ser gentes felizes….


Na intriga e em ódio a gente se enleia

Vive sem ver, a não ser o egocentrismo…

E na vivência desprovida de Amor,

As gentes urdem a sua teia

Para se dizerem cheias de dor…



18.10.09

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

E é exactamente isso!!Gostei de te ler. Muitos beijos.

8:49 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter