quarta-feira, outubro 14, 2009

A SUAVIDADE DA NATUREZA


Procurei minha morada no horizonte

Onde se confunde Terra e a bruma crepuscular

Alem, onde a distância se perde no monte

E na penumbra se esconde a passarada a cantar…


Refugiei-me na curva do horizonte

Onde desce a Terra sobre o Mar

Onde o Sol dá brilho à minha fronte

Ao segredar-me que existo para te amar…


Deixei a brisa da tarde a fazer-me carícias

Fechando os olhos para gozar as delícias

Da suavidade e ternura da Natureza


Deixei nos lábios um sorriso sonhador

Como ao receber um beijo de amor

Ao som de um hino de beleza…



14.10.09

2 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

Tão bonito poema! Suave e embalador...adorei! Muitos beijos.

7:17 da tarde  
Blogger Maria Clarinda said...

Copmo sempre fico com a melodia em mim dos teus poemas!!!
Carinhos mil

7:48 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter