sábado, março 07, 2009

PERDIDA…

Deixaste-me ir à deriva com o vento
Passei a ser nada, a não ter significado
Passei de sonho a gente de lamento,
E por quem tanto tinha amado…

Ficasse apenas no pensamento
Ou como sofrimento chorado…
Ficasse como eco de um chamamento
Para alguém que tenha amado…

Ficaria sem alento, sem qualquer razão.
Deixaste-me tão só, sem sequer a ilusão
De um dia poder sonhar-te comigo…

Ficaria talvez, quem sabe, até conformada.
Se dissesses que não podia ser tua amada
Mas que te teria para sempre como amigo…

07.03.09

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Maria Clarinda said...

Lindo o poema...muito mesmo.
Jinhos de carinho

10:02 da tarde  
Blogger Elipse said...

uma joaninha à deriva é mauzinho.
vamos ganhar rumo, querida!
beijinho.

7:15 da tarde  
Blogger Unknown said...

parabéns, muito bom o poema

12:19 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter