sábado, fevereiro 14, 2009

AMOR OCULTO


Foste o resquício do doce sonho
A quem confidenciei todo o sofrer
Por quem sorri e chorei
E a quem nunca disse quanto amei.
Tu! Só tu…
Foste o suspiro matinal
A mais terna recordação
Todas as noites de poesia
Todos os desesperos doloridos
E em ti estava toda a razão
Dos sonhos sonhados,
Da minha louca paixão…
Tu! Só tu.
Todas as confidências
E as gargalhadas sonoras
Não passaram de turbulências
Duma alma desamada…
Procuro-te ainda; Agora?
Nem sei!... Estou desolada
Pelo que calei
E nunca direi
Que foi por ti
Que sempre estive apaixonada…

14.02.09

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Kafka said...

Sigo o teu blog. Aprecio o que escreves e os sentimentos que transmites. E identifico-me com eles. Hoje, dia difícil, resolvi enviar-te uma mensagem, pois escreves o que também sinto.
Fica bem

7:45 da tarde  
Blogger joaninha said...

KAFKA
Obrigada pela visita e pelas gentis palavras.
O Amor é algo que nos faz chorar, sorrir e muito poucas vezes pensar... Só quando a fase de encantamento se esgota é que nos apercebemos como nos enganámos a nós próprios. Aí sim, começamos a pensar... e fica a saudade do que não conseguimos realizar.
Claro que temos de estar predisposto a aceitar o amor. Só assim o consideraremos ou não como o “nosso amor”.
Foi um tema muito abordado mas, parece-me, muito pouco sentido.
Um abraço

9:19 da tarde  
Blogger JoAnInHa said...

Tens um prémio no meu blog =P
Passa por lá, e atenção ás regras! =)

beijinhos

3:48 da tarde  
Blogger JoAnInHa said...

P.s- Não podia passar indiferente ao teu post...esta lindo mesmo...sem palavras amiguinha, tenho sdds tuas!

3:50 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter