sexta-feira, fevereiro 12, 2010

ÁRVORE SECA


No meio do campo uma árvore nua
De ramos esticados e ressequidos
Uma árvore sem folhagem,
Despida pelo frio inverno…

Fantasmagórica sombra à luz da lua
No meio da terra vazia.
Seus troncos erguidos
Acariciados pela fria aragem
Que sopra noite e dia…

Árvore seca e solitária
Ergue teus troncos para o Universo
Conta aos pássaros a tua história
E guarda em ti este meu verso…

12.02.10
(desenho da joaninha)

Etiquetas:

7 Comments:

Blogger Multiolhares said...

Lindo desenho da joaninha , a árvore esta despida, mas logo , logo, a primavera a vai alindar
beijinmhos

11:40 da tarde  
Blogger mixtu said...

guardará em si o poema...
queda descansada

vou, amiga linda mas regresso
até já

8:29 da tarde  
Blogger Lídia Borges said...

Gostei muito do texto e da imagem. As árvores também me encantam.

L.B.

10:48 da tarde  
Blogger Jacarée said...

São os caminhos da vida...
Quando chega
O INVERNO as árvores ficam despidas
Sem folhagem...
Olha tb. tem a sua beleza... alta
Com o meu esplendor...
Fascina...
Deslumbra...
Um dia vai brotar o seu florir
Vai voltar a ter folhas
luz e vida.

Bom dia, na caminhada da vida.
Bjs

11:45 da manhã  
Blogger jorgeferrorosa said...

Não sei onde, mas talvez por aí, entre arbustos, entre ruas, mas não sei quais, apenas vou tal como a chuva e a força daquilo que a move. Movemo-nos ainda, penso. Luz sem sombras, a terra com um cheio a molhada e a magia é a demanda do Universo.
Trabalho com vertentes encantadoras. Beijinhos
JOrge Rosa

5:04 da tarde  
Blogger Maria Clarinda said...

Como sempre Joaninha, lindo o poema...lindo o desenho.
Adoro-te amiga!
Jhs

7:29 da tarde  
Blogger mixtu said...

os passaros depois espalharão a sua estoria...

abrazo serrano

10:34 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home


Free Hit Counter