segunda-feira, fevereiro 08, 2010

QUE SAUDADE!

Que saudade dos teus lábios meu amor
Qual brisa suave numa terna carícia
Sem igual a ternura e o seu sabor
Que não esqueço nem de noite nem de dia...

Que saudade imensa desse terno calor
Que nos meus lábios deixavam magia
E faziam meu peito pulsar com fervor
Como se o tempo acabase naquele dia

Que saudade sem fim ouvir-te falar
Repetir vezes sem fim que vivias para amar
E que jamais qerias estar longe de mim

Que saudade incomensuravel de te ouvir
Aqui e além o meu nome repetir
E a que irei sentir quando estiver naqule jardim...

05.02.10

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home


Free Hit Counter