quinta-feira, janeiro 21, 2010

FOI ASSIM…


O lençol escuro da noite desceu.
Aveludada a luz pálida do luar
Foi sendo a companheira do rio
Entre o brilho da lua, rendilhados,
Que a sua luz faz nas sombras:
Das ruas e no beiral dos telhados
Enquanto chorei por quem morreu…

Num suspiro de saudade, sem fim
Nos sons da noite de pálido luar
Em que ainda choro, porque te amo…
Recordo-te no meu jardim
Onde a saudade é uma flor
E onde ainda te chamo…

21.01.10

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

Muito bonito!! Beijinhos.

12:05 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home


Free Hit Counter