segunda-feira, novembro 23, 2009

PALAVRAS MINHAS


Aqui estou eu.

Do lado de lá está o rio

Minha alma solitária

Pelo que sofreu,

Admira o rio cinzento e frio….


Ao longe o azul da atmosfera

Um azul descorado

Outonal…


A quietude do arvoredo

Diz-nos que não há vento

Uma quietude que mete medo

Ao meu pensamento…


23.11.09

2 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

O azul outonal não é descorado.
Muito belo o teu poema (como sempre).
Muitos beijos, daqui.

5:33 da tarde  
Blogger Jacarée e Baby said...

O Outonal vai findar... novas PRIMANERAS vão surgir e o Sol brilhar.

Um novo Sonho vai cintilar.


Borrifes de Jacarée

6:34 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter