terça-feira, março 24, 2009

PORQUÊ SEMPRE TU?

Palavras são como borboletas num jardim
Quais corolas coloridas a ondear ao vento
Rosas, cravos, jasmins - festival sem fim.
E pela vereda vou contigo no pensamento…

Palavras são como o som do bandolim
São o trinar de um pássaro num momento
E o teu olhar tão terno a olhar para mim
São toda a poesia que me dá alento…

E com as palavras faço versos que invento
Como se estivesse a construir um monumento
Para te dedicar para toda a eternidade…

E por palavras traduzo a minha poesia
Para que recebas, meu amor, esta alegria,
De palavras carinhosas e de serenidade…


24.03.09

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Leonor C.. said...

Lindo...."E com as palavras faço versos que invento
Como se estivesse a construir um monumento
Para te dedicar para toda a eternidade…" De momento estou sem inspiração... faltam-me as palavras.

Beijinhos

9:07 da tarde  
Blogger Nilson Barcelli said...

Querida amiga, o teu soneto é magnífico.
Gostei imenso.
Bom resto de semana,
Beijo.

6:29 da tarde  
Blogger LUA DE LOBOS said...

ai que temos de conversar ... muito :::))) belisimo... cada vez escreves melhor-dá-me a receita sff
bjokas

8:17 da manhã  
Blogger Kafka said...

Mais uma bela criação. Sem mais palavras...
beijinho

5:25 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter