terça-feira, abril 25, 2006

ÚNICOS MOMENTOS


Loucura, são todos estes pensamentos.
São doidos devaneios, imorais, caprichosos…
São pedaços de prazer, por momentos,
Extravagantes instantes e tão gloriosos…


São mãos tépidas em ternos movimentos
Beijos suculentos entre lábios maviosos
Gestos perdidos ao acaso, meigos, lentos
E sem hesitações, muito doces e amorosos…


São fragmentos fragmentados, tão irreais,
Como as areias corridas por vendavais…
Que nesta dor profunda são tudo e nada…


Sinto irreverentes desejos de te chamar
E dizer que não passaste de onda do mar…
Que podias ter sido tudo e não foste nada…


24.04.06

6 Comments:

Blogger oalcoviteiro said...

Lindo, como de costumae. B'dia e um bjinho.

4:01 da manhã  
Blogger Stressless said...

Humm!
Poesia!!!
Gosto... a minha última passagem pela FNAC (ontem) trouxe-me uma Antologia de Eugénio de Andrade.
Obrigado pela tua visita, passarei de certeza com mais.
Bj

6:38 da manhã  
Blogger oalcoviteiro said...

B'domingo, bjinhoss.

8:18 da manhã  
Blogger Gonçalinho said...

Gostei. Podia ter passado ao lado, mas não passou. Parou e reflectiu-se no meu ecrã. E eu li-o. Com gosto.

8:44 da tarde  
Blogger Carla said...

posso te dizer,que adorei o q escreveste...tens dom,sabes?

4:04 da tarde  
Blogger GNM said...

Que seria de nós sem a faceta
louca que - uns mais outros menos -
todos temos?

Deixo-te um sorriso...

11:18 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home


Free Hit Counter