sábado, novembro 24, 2007

DESFIGURAÇÕES


Decepção pelo alheamento
Que me deixa nesta ansiedade
Em que todo o pensamento
Procura em vão a verdade

Passageiro que seja o momento
Mas que me traga alguma felicidade,
Mesmo breve como rajada de vento,
Mas que seja meu tempo de realidade

Este amor imaginário que me magoa
E me mata sem que isso lhe doa
Faz de mim uma alma extraviada

E todas as loucuras que escrevo,
Que dizer-lhas nem me atrevo
Escondem que estou apaixonada…


24.11.07

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Nilson Barcelli said...

Adorei a tua poesia (a que vi....).

Este blogue não está listado no teu perfil.
Talvez devesses dar-lhe, por isso, maior destaque no outro e dizer claramente que também é teu.
Só vim aqui por palpite...

Beijinhos

12:33 da tarde  
Blogger Leonor C.. said...

"Se aquilo que a gente sente,
Cá dentro, tivesse voz,
Muita gente ... toda a gente
Teria pena de nós!"
Assim disse Augusto Gil

NA CORRENTE DA VIDA

9:49 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter