quarta-feira, novembro 21, 2007

RETALHOS DE DOR


Os diálogos mudos que se cruzam pelos ventos,
E esse afago constante duma dualidade permanente,
Deixam uma via láctea de dor em meus pensamentos
E minha alma sofre e eu nem sei rezar por não ser crente…

Essa viagem que vos aproximará ingenuamente,
Entre as teias da vida, com a bagagem cheia de unguentos
Irá fazer em nós a distancia dum universo crescente
Porque vem a morte que nos liberta de todos os momentos…

Um fio fino que se enrola como novelo em voltas sucessivas
Fica tecido num tear, onde se estendem as múltiplas missivas
Dizendo o que ninguém diz, mas diz um coração magoado…

E o tecido que teria sido de luz, como um manto de amor,
Apenas para mim restou um velho trapo roto pela dor
De um amor que nunca foi meu e a alguém está a ser doado…


20.11.07

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Fernanda said...

Ola!!!!
Coloquei para voce, no meu blog, um clip de gatos com uma musica bem fofinha sobre eles.
Desculpe mandar mensagens por aqui, mas nao sei outra maneira!!!
Abracos

9:49 da tarde  
Blogger Tiago Nené said...

Ola colega do blogue das artes:) td bem?

posso chatear um bocadinho? é possivel fazeres divulgaçao nos teus blogues da apresentaçao do meu livro este sabado na fnac do algarve shopping?

a info ta na minha pagina:

www.tiagonene.pt.vu

obrigado, colega! és um anjo! e claro.. aparece!

Tiago

2:00 da manhã  
Blogger jorgeferrorosa said...

Profundo e belo. gostei. beijinho

4:13 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home


Free Hit Counter